trupeolhodarua@gmail.com

27 de agosto de 2010

I Mostra de Arte Contemporânea Caiçara - Casa da Frontaria Azulejada

Caiçaras celebram a cultura

Em 28 de agosto, artistas de várias áreas se reúnem na Casa da Frontaria Azulejada, no Centro Histórico de Santos

Músicos e compositores, coreógrafos e dançarinos, artistas plásticos, fotógrafos, escritores, intelectuais e representantes de diversas expressões culturais do litoral paulista se reúnem no final de agosto, em Santos, na I Mostra de Arte Contemporânea Caiçara, que acontece no dia 28, sábado, a partir das 14 horas, na Casa da Frontaria Azulejada, no Centro Histórico.

O objetivo da Mostra é celebrar a arte por meio do encontro entre manifestações tradicionais e obras mais ligadas à vanguarda, bem como fortalecer a produção artística local na busca de expressão universal. A idéia é apresentar ao público em um só local uma série de produções artísticas e reflexões sobre a arte produzida na região e sua relação com a identidade local.

“Queremos resgatar nossas tradições e misturá-las ao contemporâneo, estimular a pesquisa e a criação artística, a produção, o intercâmbio e a difusão cultural, conectar a expressão artística regional à global e oferecer ao público uma intervenção entre música, dança, teatro, literatura, circo e artes visuais em evento de improvisação coletiva”, afirma Márcio Barreto, do Percutindo Mundos, grupo de música caiçara contemporânea, e curador da mostra.

A programação começa com uma atividade para crianças e adolescentes, simultaneamente às exposições visuais: “Olhares Marítimos” que reúne fotografias de Biga Appes, Adilson Félix, Márcio Barreto, Tito Wagner, Giba Paiva Magalhães, Raquel Ramires, Helena Araujo, Isabel Nascimento e Christina Amorim. Estarão na mostra as esculturas “Aluminarte”, de Anak Albuquerque e Giovane Nazareth (Cubatão /SP)e também os trabalhos de Chico Melo (Ateliê 44 - Santos /SP)) e Cris Oliveira com suas esculturas em areia, “ A Incrível Arte do Equilíbrio”, de Galeno Malfatti (São Vicente /SP), e “Arte DuLixo”, de Tubarão, mais a gravura “Valongo”, de Fabrício Lopez (Estúdio Valongo), “Cores no Dique” e "Sobre Mar Madeira e outros Animais" , arte visual de Maurício Adinolfi com Luciana Ramim e Gabriel Netto, “Retratos” da artista gráfica Nice Lopes, os cartazes do Coletivo Action, com a série “Supremacia Caiçara”, a arte de Evelise Aguião e o grafite de Valério da Luz (Ateliê 44)e Hugo Leal (Interagestudio).

Das artes cênicas e circenses, o evento apresentará “Ciranda Caiçara”, projeto que une arte e meio ambiente (Escola Municipal Lucio Martins Rodrigues - São Vicente /SP), “Pagu Mulher” com Maíra de Souza e o grupo Gaia´thos e Escola Livre de Circo da Oficina Regional Cultural Pagu (Santos /SP), a atriz Christy-Ane Amici (“Atro Coração” - Teatro Canoa). Depois se apresentam os índios Guarani Mbya da Aldeia Paranapuã de São Vicente.

Para refletir sobre a identidade da região, o jornalista Alessandro Atanes, mestre em História Social, faz a miniconferência “Caiçara, Portuário, Oceânico”, com inserção de canções do projeto “Rota Literária”, sobre como a arte e a literatura mostram a região.

Às 18 horas, começa uma nova série de apresentações: Meire Berti e o Coral Fosfértil Baixada Santista apresentam “Indianismos”, a dançarina e coreógrafa Célia Faustino mostra a coreografia “Exílios: Cartas ao Vento”; outras coreografias são de Rita Nascimento, “Palavras ao Mar”, Erika Karnouchovas com "O corpo como cenografia do eu" junto com os perfomers Ildefonso Torres Filho, Aline Cassiane, Natan Brith, Andrea Azevedo, Fabiana Miler e Tabata Barboza e videoinstalação do videomaker e jornalista, Eduardo Riccie. A bailarina e escritora (doutotra em pedagogia pela USP)Kiussam de Oliveira apresenta “Afrodescendência” e Poliana Nataraja com sua Arte Visionária, fundindo arte e espiritualidade.Fernanda Carvalho apresentará oficina de improvisão em dança, preparando o público para a intervenção coletiva do evento.

Entre os escritores, Flávio Viegas Amoreira apresenta trechos de “Escorbuto” e José Geraldo Neres (Santo André /SP) lê “Outros Silêncios”, além de Ademir Demarchi, editor da revista Babel, Jap Krichinak do Museu de Arte Popular de Diadema,Edson Bueno de Camargo (Mauá /SP), Lucas Carrasco (São Paulo /SP), Victor Valente e Fernando Diegues, Marcelo Ariel (Cubatão /SP), que acaba de lançar o livro de poesia “Conversas com Emily Dickinson” e Meire Berti fala sobre seu livro "Essa gente da Beira Mar".

Com participação do compositor Gilberto Mendes, as atrações musicais reúnem Zéllus Machado e Trio Kaanoa (música caiçara), o pianista Tarso Ramos, a compositora Carla Fá, Percutindo Mundos - O Universo em Movimento, com sua Música Caiçara Contemporânea, Mirianês Zabot (São Paulo /SP), Olhos de Carla com Daniel Mac Adden Jr e João Maria, a discotecagem do Futuráfrica com o DJ Lufer, Projeto Vapaa (Cubatão /SP), Henrique Crispim (São Paulo /SP), Mantra Yoga Transcendental e o grupo Sidarta com Rogério Baraquet.

Às 21h30, para encerrar a Mostra, artistas e público interagem em uma intervenção multimídia, reunindo música, teatro, dança, literatura e artes visuais criando uma obra coletiva.

O curador Márcio Barreto explica a iniciativa de reunir vários artistas em um só evento: “A I Mostra de Arte Contemporânea Caiçara justifica-se pela necessidade de promover reflexões e debates sobre identidades culturais e sua importância para o cenário mundial, assim como assegurar e difundir o rico patrimônio artístico caiçara e sua relação com o global”. No ensejo da Mostra será debatido a instituição do "Dia do Caiçara" no calendário oficial de Santos e a arrecadação de mantimentos para a aldeia dos índios Guarani Mbyá de Paranapuã, São Vicente /SP. Gilberto Mendes será homenageado pelo conjunto e profundidade de sua obra.

Realização:
Márcio Barreto (Instituto Ocanoa/Projeto Canoa – São Vicente / Brasil).

Apoio

Marta Molina (Artefacto Cultural – Barcelona /Espanha).
Natalia Freire (Instituto CAE – Santos /Brasil).
Secretaria de Cultura de Santos,
Secretaria de Cultura de São Vicente,
Secretaria de Cultura de Cubatão,
Fundação Arquivo e Memória de Santos,
Oficina Cultural Regional Pagu,
Instituto CAE - Vozes da Senzala,
Instituto de Pesca de Santos,
Instituto Artefato Cultural,
Instituto Camará - Ponto de Cultura (São Vicente / SP),
Revista Pausa.


MUITA MERDA!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Agradecemos o interesse por nosso trabalho, acompanhe a programação!
trupeolhodarua@gmail.com

Abraços

Trupe Olho da Rua