trupeolhodarua@gmail.com

31 de julho de 2007




Histórico do Grupo

No final do ano de 2002, nasce a Trupe Olho da Rua, com o intuito de desenvolver a estética do teatro de rua na região da Baixada Santista e buscar uma nova platéia, ausente das salas de espetáculos.
Partindo de experiências individuais, onde se destaca uma forte influência do universo do palhaço, e uma referência musical que abarca tanto o canto como instrumentos de corda e percussão, o grupo montou um espetáculo de variedades, “Bufonarias”, no mesmo ano de 2002, e inicia a 1ª edição da “Caravana pelo Mundaréu”, projeto de circulação mambembe da Trupe Olho da Rua, tendo percorrido hoje em dia, todas as cidades litorâneas de Paraty-RJ à Cananéia-SP.
Em 2003, o grupo convidou Zeca Sampaio para escrever e dirigir um espetáculo cujo tema central fosse à guerra. Surge, então, o espetáculo “Pra Lá de Bagdá”.
Em 2004, a Trupe circulou com a “2ª Caravana pelo Mundaréu”, com o espetáculo “Pra Lá de Bagdá”, em janeiro. Em 2005, estendemos a “3ª Caravana pelo Mundaréu”, em parceria com a Oficina Cultural Regional Pagú e com o projeto “Caravana do Conhecimento-Interior na Praia” da Secretaria de Cultura do Estado de São Paulo, além de apresentações em acampamentos do MST.
Durante este mesmo ano, o grupo iniciou o projeto Redemocratização dos Espaços Públicos, que surgiu após uma série de discussões sobre a trajetória do grupo, onde foram levantadas questões estéticas e sociais sobre o teatro de rua. No final do ano de 2005, a Trupe Olho da Rua, estreou seu espetáculo “Brincadeiras de Arruar”, contemplado pelo Projeto Residência Cênica de Santos e Projeto Ademar Guerra, com orientação de Wanderley Piras.
Em dezembro de 2005, estreou o “Alto dos Palhaços”, que realizou 15 apresentações na sua 1ª versão.
Em janeiro de 2006, a Trupe realizou a “4ª Caravana pelo Mundaréu”, com o espetáculo “Brincadeiras de Arruar”.
No início do ano de 2006, como resultado paralelo de sua pesquisa, o grupo estréia mais um espetáculo, “Bufonarias II”, em que o conceito etimológico da palavra bufão serviu como fio condutor para o aprofundamento do universo do palhaço, utilizando-se de gags tradicionais de circo para compor o seu roteiro. O espetáculo permanece “em cartaz” juntamente com Pra lá de Bagdá, em uma proposta de manter um repertório ativo de vários espetáculos. Durante esse mesmo ano, a Trupe se profissionaliza e ingressa na Cooperativa Paulista de Teatro. Participa, também, da V Mostra Rio – São Paulo de Teatro de Rua, de Paraty, em dezembro de 2006.
Em janeiro de 2007, realiza sua “5ª Caravana Pelo Mundaréu”, apresentando os espetáculos de seu repertório, em uma parceria com a prefeitura municipal de Santos, buscando apoio e parcerias com empresários da região.No mês de maio a Trupe Olho da Rua apresentou o espetáculo "Bufonarias II", em Recife e Olinda-PE. Em 29 de junho de 2007, estreou seu novo experimento cênico “Arrumadinho”, uma criação coletiva desenvolvida a partir de uma pesquisa teórica e estética, em busca de uma ampliação da linguagem cênica do grupo e de uma compreensão mais ampla de sua opção por uma prática teatral fora dos padrões convencionais do teatro.
A Trupe já ministrou oficinas na Secretaria de Cultura de São Vicente e na Oficina Regional Cultural Pagu, em Santos, através do Centro de Pesquisa de Teatro de Rua da Baixada Santista. Atualmente, se dedica à criação e a captação de recursos para a próxima montagem, uma adaptação cênica do romance “Terra Papagalli” do escritor santista José Roberto Torero e Marcus Aurelius Pimenta.
A Trupe Olho da Rua, hoje conta com a parceria da Cooperativa Paulista de Teatro e do Clube Sírio Libanês de Santos e apoio do Restaurante Gotissô, Atelier 44, Colégio Anglo Santista, Sindicato dos Bancários e dos Metalúrgicos de Santos.


Prêmios e Participações em Festivais e Mostras:

 Menção Honrosa por pesquisa de linguagem.
(Festival Santista de Teatro - 2004)
 Melhor Atriz – Raquel Rollo (“Pra Lá de Bagdá”)
(Festival Santista de Teatro- 2004)
 Melhor Ator – Caio Martinez (“Pra Lá de Bagdá”)
(Festival Santista de Teatro -2004)
Prêmio Plínio Marcos 2004– Melhor Ator - Caio Martinez (“Pra Lá de Bagdá”)
Prêmio Plínio Marcos 2004– Melhor Atriz - Raquel Rollo (“Pra Lá de Bagdá”)
 Melhor Espetáculo de Rua – “Pra Lá de Bagdá”
(Festival de Caraguatatuba - 2004)
 Melhor Sonoplastia. (“Pra Lá de Bagdá”)
(Festival de Caraguatatuba - 2004)
 Melhor Ator – Caio Martinez (“Pra Lá de Bagdá”)
(Festival de Teatro de Caraguatatuba - 2004)
 2ºLugar Melhor Espetáculo (“Pra Lá de Bagdá”)
(Festival de Cubatão - 2005)
 Melhor Ator Coadjuvante – João Paulo Pires (“Pra Lá de Bagdá”)
(Festival de Cubatão - 2005)
 Maratona Cultural – Festival Caros Amigos de Santos 2006.
 V Mostra de Teatro de Rua Rio-São Paulo em Paraty 2006.
(“Pra Lá de Bagdá”)
 IV Overdose de Teatro de Rua de São Paulo - 2007.
 Maratona Cultural – Festival Caros Amigos de Santos 2007.

Prêmio Estadual:

 Ademar Guerra (2005)

Prêmio Municipal:

 Residência Cênica (2005)

Um comentário:

  1. Anônimo9:41 PM

    Depois que os vi hoje no Cinearte, numa rápida apresentação para TV, não consegui tirar uma idéia da cabeça: a moça que toca bumbo existe na realidade?

    O Cara da Escada

    ResponderExcluir

Agradecemos o interesse por nosso trabalho, acompanhe a programação!
trupeolhodarua@gmail.com

Abraços

Trupe Olho da Rua